Prefeitura de Vitória

Voltar
MenuMenu

Segurança Urbana

A segurança urbana em todo o município de Vitória é garantida por ações específicas de proteção aos cidadãos. Uma delas é o Botão do Pânico, usado em situações de emergência por mulheres em situação de violência doméstica. Seguindo a marca da Gestão Participativa, reuniões com a sociedade e representantes políticos, como o Gabinete de Gestão Integrada discutem ações para a segurança da cidade.

Botão do Pânico busca proteger mulheres da violência doméstica

Yuri Barichivich

Lançamento do Botão do Pânico em Vitória

Desde 2013, mulheres em Vitória que se sentem ameaçadas por ex-maridos, namorados ou companheiros contam com um mecanismo importante de proteção: o Botão do Pânico.

O dispositivo faz parte de um projeto piloto lançado pelo Tribunal de Justiça do Estado do Espírito Santo (TJ-ES) em parceria com a Prefeitura. O objetivo é reduzir os altos índices de violência doméstica registrados na capital.

O equipamento foi distribuído para mulheres que estão sob medida protetiva na 11ª Vara Criminal de Vitória e pode ser acionado caso o agressor não mantenha a distância mínima garantida pela Lei Maria da Penha. Ele capta e grava a conversa num raio de até cinco metros. A gravação poderá ser utilizada como prova judicial.

O Botão do Pânico também dispara informações para a Central Integrada de Operações e Monitoramento (CIOM), com a localização exata da vítima, para que um carro da Patrulha Maria da Penha seja enviado ao local. Para garantir agilidade no atendimento ao pedido de proteção, a administração municipal disponibiliza viaturas da Guarda  24 horas.

Última atualização em 25/05/2017

Voltar para o topo

Pronasci integra política de segurança com atividades sociais

Marcos Salles

Lancamento do Pronasci  Territorio de Paz

A Secretaria Municipal de Segurança Urbana (Semsu) é a coordenadora, na Prefeitura de Vitória, do convênio de Cooperação Federativa com o Ministério da Justiça que visa à implementação de projetos do Programa Nacional de Segurança com Cidadania (Pronasci) na capital.

O Pronasci articula as políticas de segurança com atividades sociais; prioriza ações preventivas e busca atingir as causas que levam à violência, sem abrir mão das estratégias de controle e repressão.

O programa tem como meta trabalhar com jovens de 15 a 24 anos em situação de risco ou em conflito com a lei, presos ou egressos do sistema prisional. Entre os principais eixos destacam-se a formação e valorização dos profissionais de segurança pública e o envolvimento da comunidade na prevenção da violência.

Última atualização em 21/07/2014

Voltar para o topo

Gabinete de Gestão Integrada discute política de segurança pública

O prefeito de Vitória, secretários, técnicos de diversas áreas da administração municipal e representantes de órgãos ligados à segurança urbana reúnem-se, uma vez por mês, no Gabinete de Gestão Integrada Municipal (GGI-M).

O colegiado foi criado com o objetivo de discutir uma política municipal preventiva contra a violência e contribuir para a prevenção, redução e controle da criminalidade no município.

As decisões são tomadas em consenso e respeitam as autonomias institucionais dos órgãos que formam o gabinete. O grupo serve ainda como um espaço de troca de informações e articulação estratégica entre a Prefeitura e as diferentes forças de segurança: Polícia Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Guarda Municipal, Polícia Federal e representações do Judiciário, como o Ministério da Justiça. O GGI-M está presente em 12 regiões metropolitanas do país com alto índice de violência.

Entre os temas debatidos estão a epidemia do crack e a atuação da Guarda Civil. As definições do Gabinete de Gestão Integrada refletem diretamente na formulação de políticas públicas do Programa Nacional de Segurança com Cidadania (Pronasci), um convênio de Cooperação Federativa com o Ministério da Justiça presente em 82 municípios brasileiros.

O Pronasci articula as políticas de segurança com atividades sociais, prioriza ações preventivas e busca atingir as causas que levam à violência, sem abrir mão das estratégias de controle e repressão. O programa destina-se a jovens de 15 a 24 anos em situação de risco ou em conflito com a lei. Seus principais eixos são a formação e valorização dos profissionais de segurança pública e o envolvimento da comunidade na prevenção da violência, por meio de ações como o projeto Mulheres da Paz.

Quem faz parte do Gabinete de Gestão Integrada

  • Administração municipal: prefeito, secretários municipais, comando da Guarda Civil e gerente da Defesa Civil
  • Governo do Estado: comando da Polícia Militar, comando do Corpo de Bombeiros, chefe da Polícia Civil e Secretaria de Estado de Segurança Pública
  • Representantes do Ministério da Justiça: Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal e técnicos do Pronasci; representantes da Capitania dos Portos
  • Procuradoria Geral de Justiça
  • Defensoria Pública
  • Tribunal de Justiça

Última atualização em 05/05/2014

Voltar para o topo

São Pedro é o primeiro Território de Paz de Vitória

Marcos Salles

Jovens de camisa do projeto protejo cantam em micofone em cima de palco

O Território de Paz é uma região do município escolhida para a implantação de várias ações do Programa Nacional de Segurança com Cidadania (Pronasci), do Ministério da Justiça. Cada ação tem como foco envolver a população, especialmente a juventude, para a promoção da cidadania, dos direitos humanos, da inclusão social e para a redução da criminalidade e da violência na comunidade.

São Pedro é o primeiro Território de Paz de Vitória. Nessa região, serão criados Núcleos de Policiamento Comunitário Interativo, videomonitoramento, Justiça Comunitária e várias ações que serão realizadas pelos próprios moradores. São 29 projetos desenvolvidos de forma integrada pela Prefeitura de Vitória, Governo do Estado e Tribunal de Justiça.

O Território de Paz foi lançado, em Vitória, no dia 6 de março de 2009, com a presença do presidente Lula e do ministro da Justiça, Tarso Genro. A coordenação dos projetos Pronasci em Vitória é feita pela Secretaria Municipal de Segurança Urbana (Semsu).

Última atualização em 21/07/2014

Voltar para o topo

Câmeras reforçam a segurança e auxiliam no controle do trânsito

Foto Divulgação

Agentes da Guarda Municipal fazendo o videomonitoramento

Vitória conta com videomonitoramento por câmeras com alcance de até dois quilômetros. Os equipamentos, que podem ser transferidos de local, auxiliam na segurança pública e no controle do trânsito.

A instalação foi possível graças ao repasse pelo governo federal de recursos do Programa Nacional de Segurança com Cidadania (Pronasci).

As câmeras estão em pontos estratégicos e as imagens são operadas por agentes da Guarda Municipal, 24 horas por dia, integrados com a Polícia Militar, por meio do Centro Integrado de Operações e de Defesa Social (Ciodes).

O serviço começou a funcionar em dezembro de 2007, quando a Prefeitura de Vitória implantou seis câmeras, cinco delas doadas pela companhia Vale.

Em 2010, com recursos do Pronasci, a Prefeitura adquiriu um veículo de videomonitoramento equipado com quatro câmeras, computador e mesa de controle. Das quatro câmeras, três possuem capacidade de giro em 360º. O primeiro do Brasil adquirido por um município.

No ano de 2011, foi inaugurada a Central Integrada de Operações e Monitoramento (CIOM). Além de potencializar o trabalho de segurança pública, proporcionando respostas imediatas às ocorrências, a Central também possibilita a identificação mais rápida às demandas de outras áreas da administração, como as do trânsito, serviços e de gestão estratégica.

Última atualização em 21/07/2014

Voltar para o topo

Mapa da violência ajuda a definir locais de instalação dos equipamentos

Videomonitoramento da Semsu

Carro trafegando por via de Vitória

A definição dos locais onde as câmeras são instaladas é feita a partir do mapa da violência e segue critérios como maior concentração de pessoas; entradas e saídas do município; a distribuição por todas as regiões de Vitória; e as necessidades de proteção comunitária e patrimonial e da segurança no trânsito.

Do ponto de vista da Proteção Comunitária

  1. Incidência de crimes, contravenções e violência, contra pessoas e contra o patrimônio: São Pedro, Resistência, Nova Palestina, Ilha do Príncipe, Centro, Itararé, Santa Martha, Jardim da Penha, Praia do Canto, Bairro da Penha, Resistência e Maria Ortiz;
  2. Grandes concentrações e fluxo de pessoas e áreas de interesse: pontos de ônibus; praças; Palácio Municipal; casas e áreas de shows; Ufes; unidades de ensino; Aeroporto; Rodoviária; parques e unidades de saúde;
  3. Áreas de atividades comerciais: Vila Rubim, Centro, rua Sete de Setembro, Centro da Praia, Shopping Vitória; praças comerciais, como as dos Namorados, dos Desejos e da Ciência; em Jardim da Penha e Jardim Camburi; avenidas comerciais, como Jerônimo Monteiro, Vitória, Fernando Ferrari, Marechal Campos, Leitão da Silva, Américo Buaiz e Nossa Senhora da Penha;
  4. Parques: Pedra da Cebola; Barreiros; Horto de Maruípe e Praça do Papa.

Do ponto de vista do Controle de Trânsito

  1. Controle de acessos à cidade: Ponte Florentino Avidos (Cinco Pontes); Ponte Presidente Costa e Silva (Segunda Ponte); Ponte Darcy Castelo Mendonça (Terceira Ponte); Aeroporto; Rodovia Norte-Sul; Avenida José Celso Cláudio e Rua José Rato;
  2. Principais corredores: avenidas Dante Michelini, Adalberto Simão Nader, Fernando Ferrari, Saturnino de Brito, Nossa Senhora da Penha, Maruípe, Leitão da Silva, Américo Buaiz, Nossa Senhora dos Navegantes, Marechal Mascarenhas de Moraes, César Hilal, Vitória, Rio Branco, Paulino Müller, Princesa Isabel, Jerônimo Monteiro, Getúlio Vargas, Dário Lourenço de Souza, Santo Antônio e rodovia Serafim Derenzi;
  3. Maiores concentrações de ocorrências: avenida Fernando Ferrari (Ufes e Posto Presidente); avenida Américo Buaiz (Shopping Vitória); avenida Nossa Senhora da Penha (Wall Mart e Boulevard da Praia).

Última atualização em 21/07/2014

Voltar para o topo

Projeto fiscaliza as áreas reservadas para banhistas em Vitória

Samira Gasparini

Quadriciclo da Guarda Municipal

Desenvolvido em parceria com a Capitania dos Portos, desde novembro de 2007, o Projeto Orla Segura busca melhorar a segurança para banhistas, praticantes de esportes náuticos e pilotos de embarcações na costa da capital.

Em 2008, a Prefeitura cedeu um barco, no valor de R$ 500 mil, para fiscalização das praias e implantou 45 boias náuticas para sinalizar a faixa exclusiva para banhistas em Camburi e na Curva da Jurema.

Periodicamente, é realizada uma campanha de conscientização para banhistas e proprietários de embarcações, e a Capitania capacitou agentes da Guarda Civil Municipal para a fiscalização na área terrestre.

Última atualização em 21/07/2014

Voltar para o topo

Comitês de moradores promovem cultura da paz

Lideranças nas comunidades, que servem como bons exemplos para a região, são qualificadas em cursos sobre mediação de conflitos, direitos humanos, cidadania, participação popular e cultura da paz. A capacitação dura três meses. Ao final dos cursos, os moradores passam a agir voluntariamente em seus bairros, buscando fortalecer os laços entre os vizinhos e elevar a auto-estima da comunidade.

Os Comitês da Paz promovem festas, campanhas, torneios esportivos e atuam diretamente com a comunidade e a vizinhança, como conselheiros e mediadores. Quando necessário, fazem encaminhamentos para os serviços públicos competentes.

As ações de mobilização começaram em 2006. Vitória possui, hoje, cinco Comitês da Paz, nos seguinte bairros: Bairro da Penha, Resistência, Nova Palestina, Ilha do Príncipe e São Pedro.

Mais informações

Gerência de Apoio e Prevenção à Violência (GAPV)

Telefone: (27) 3135-1010.

Última atualização em 21/07/2014

Voltar para o topo

Guarda Civil realiza oficinas sobre violência e drogas em escolas da capital

Rafael Paes

Agentes da Guarda Municipal em palestra para alunos

Agentes de trânsito e agentes comunitários de segurança da Guarda Civil Municipal de Vitória foram qualificados para promover oficinas e dinâmicas para alunos das escolas municipais de Vitória sobre trânsito, violência e uso de drogas.

A interação com os agentes nas escolas ajuda a construir valores morais e éticos, mostrando aos alunos os riscos e malefícios de substâncias entorpecentes, o respeito às diferenças, o combate à violência nas escolas e a importância de um ambiente de paz, em que prevaleçam os direitos e deveres do Estatuto da Criança e Adolescente (ECA).

Mais informações

Telefone: (27) 3135-3195
Horário de funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 8 às 18 horas

Última atualização em 12/08/2015

Voltar para o topo

Vitória recebe programa da ONU para redução da violência

Carlos Antolini

Panorâmica do Bairro São Pedro

Vitória, Lauro de Freitas (BA) e Contagem (MG) são os três municípios no Brasil que recebe o Programa "Segurança com Cidadania: prevenindo a violência e fortalecendo a cidadania", da Organização das Nações Unidas (ONU). O programa prevê o desenvolvimento de diagnósticos da criminalidade nas comunidades; o levantamento da estrutura e das ações das instituições gestoras de segurança; e a elaboração de planos de intervenção em resposta aos problemas identificados.

O Segurança com Cidadania tem como público-alvo pessoas com 10 a 24 anos de idade, excluídas do sistema educativo, vítimas de violência doméstica ou intergeracional, que estão envolvidas em atividades relacionadas com drogas (como o tráfico) ou que pertençam a comunidades dominadas por grupos ilegais.

Seis agências da ONU - PNUD, Unicef, Unesco, OIT, UNODC e ONU-Habitat - estão envolvidas no programa, que vai destinar US$ 6 milhões de dólares (cerca de R$ 10,5 milhões) para os três municípios. Em Vitória, os investimentos serão de US$ 2 milhões (cerca de R$ 3,5 milhões), feitos ao longo dos anos de 2011, 2012 e 2013, na Grande São Pedro.

A expectativa é que os investimentos resultem na redução de, pelo menos, 5% dos homicídios de jovens e adolescentes no segundo ano do programa e mais 5% no terceiro ano; redução de, pelo menos, 20% no absenteísmo escolar; redução de, pelo menos, 20% de mulheres e meninas vítimas de violência; e aumento de pelo menos 20% na percepção de segurança nos espaços públicos.

Os recursos são do Fundo Espanhol para Alcance dos Objetivos do Desenvolvimento do Milênio (ODM). Os projetos serão desenvolvidos em conjunto pelas Prefeituras e pelo Ministério da Justiça, por meio do Programa Nacional de Segurança com Cidadania (Pronasci).

Última atualização em 21/07/2014

Voltar para o topo

Posto Avançado na Praia de Camburi amplia proteção da população

Elizabeth Nader

Fachada da Guarda Municipal em frente ao Posto Avançado em Camburi

Um espaço de fácil acesso para a população e que agiliza o atendimento da Guarda Civil Municipal na parte continental de Vitória. Essas são as funções do Posto Avançado de Agentes Comunitários, que funciona diariamente, das 6 às 19h, em um quiosque no final da praia de Camburi.

O local, cedido pela Companhia de Desenvolvimento de Vitória (CDV) à Secretaria Municipal de Segurança Urbana (Semsu) para ser uma base comunitária de segurança na capital, conta com computadores interligados à Central Integrada de Operações e Monitoramento (CIOM), possibilitando, o videomonitoramento 24 horas da orla e bairros adjacentes,.

O posto oferece aos agentes comunitários o suporte necessário para que eles possam auxiliar os moradores e frequentadores da região nas demandas preventivas de segurança e cidadania.

Nos turnos matutino e vespertino, os agentes permanecem no local auxiliando os guardas em viaturas, recebendo ocorrências do telefone 190 e atendendo as demandas da população. No período noturno, os agentes, em viaturas, utilizam o quiosque como base para se deslocar em rondas nos bairros próximos.

Através do Posto Avançado, também é possível potencializar o trabalho da Guarda Municipal no atendimento às ocorrências geradas pelas unidades de saúde, escolas, parques e outros bens públicos de Jardim da Penha, Mata da Praia e Jardim Camburi.

Onde fica o Posto Avançado

 Avenida Dante Michelini, praia de Camburi (primeiro quiosque após a avenida Adalberto Simão Nader) - Ver no mapa
Horário de funcionamento: de segunda a domingo, incluindo feriados, das 7 horas à meia-noite

Última atualização em 22/02/2017

Voltar para o topo

Batedores da Guarda Civil garantem deslocamento seguro de autoridades

Fernanda Neves

Batedores da Guarda Municipal

O Grupamento de Batedores da Guarda Civil Municipal é composto por 10 agentes de trânsito, que possuem treinamento específico para a função. O grupo é responsável por garantir o deslocamento seguro de todas as autoridades nacionais e internacionais que visitam a cidade, já tendo prestado esse serviço, por exemplo, para o ex-presidente Lula, a presidenta Dilma e diversos ministros.

O trabalho dos batedores é realizado por meio de motocicletas e consiste em enviar agentes adiantados em relação ao comboio para fechar os cruzamentos em que os veículos irão passar. Esses agentes são chamados de "ponta de lança", pois são os primeiros a alterar a dinâmica do trânsito no percurso em que o comboio irá passar. Para minimizar o risco de acidentes, até mesmo a tráfego de pedestres é interditado.

À frente do comboio vão os agentes responsáveis por manter a velocidade constante de todos os veículos, sendo chamados de "reguladores". Atrás ficam os "serra filas", agentes que têm o dever de segurar o fluxo de veículos e impedir a entrada de outros carros no comboio.

Última atualização em 12/08/2015

Voltar para o topo

PREFEITURA MUNICIPAL DE VITÓRIA
Avenida Marechal Mascarenhas de Moraes, 1927
Bento Ferreira, Vitória, ES - CEP: 29.050-945
Telefone: (27) 3382-6000

Versão clássica